As pessoas povoam a escuridão com fantasmas, deuses, elétrons e história. As pessoas imaginam e acreditam, e é essa crença, essa crença sólida como a pedra, que faz as coisas acontecerem.

Fé, poder e decadência se unem em uma jornada de deuses e de homens. Metáforas e lendas permeiam o retrato de uma terra formada pelo sangue e pelas crenças de diferentes povos. Assim é Deuses Americanos, o aclamado livro de Neil Gaiman que agora ganha uma adaptação televisiva.

A um mês da estreia da série (30 de abril nos EUA, 1° de maio no Brasil), confira algumas coisas que você precisa saber antes de pegar carona com os deuses.

Sobre o autor

O inglês Neil Gaiman é um dos principais escritores multimídia da atualidade. Das histórias infantis às obras densas e obscuras, Gaiman transita tanto entre distintos tons narrativos quanto entre diferentes gêneros de escrita.

Mundialmente conhecido como criador da icônica revista em quadrinhos Sandman, Gaiman se destaca na escrita de romances e contos, além do trabalho como roteirista de filmes e de séries como Doctor Who.

Em suas obras, magia e realidade costumam se fundir para contar histórias de sonhos e lendas, cheias elementos fantásticos e ao mesmo tempo humanos. Sua escrita é marcada, em muitos casos, pelas representações antropomórficas de seres mitológicos e entidades, como é o caso inclusive, de Deuses Americanos.

Sobre o livro

Quarto romance da carreira de Neil Gaiman, Deuses Americanos foi originalmente lançado em 2001 e venceu uma série de prêmios de literatura de fantasia e ficção, como o Hugo e o Nebula.

Misturando o aspecto fantasioso e mitológico com um retrato cru e crítico da sociedade, o livro traz a premissa de deuses vivendo entre nós sob o aspecto humano. Divindades trazidas dos mais diferentes lugares e culturas pelos povos que formaram a América, e que agora vivem a decadência do poder diante de uma humanidade cria seus próprios deuses a partir de seus interesses.

Com a presença de entidades cujas verdadeiras intenções são duvidosas, o romance perpassa não apenas essa jornada em  uma terra que é dura para os deuses, mas também traz relatos antigos das esquecidas épocas de poder e devoção.

Sobre a história

– Acredite – disse a voz rimbombante. – Se você sobreviver, precisa acreditar.
– Acreditar em quê? – perguntou Shadow. – Em que eu devo acreditar?
– Em tudo.

O enredo de Deuses Americanos acompanha o protagonista Shadow Moon, um homem duro e calado que ao sair da prisão percebe que seus sonhos e esperanças foram destruídos. Um sujeito que ainda entorpecido pela dor, recebe uma misteriosa proposta de trabalho de um homem igualmente misterioso, o Sr. Wednesday.

A partir daí Shadow embarca numa viagem por estradas, bares e cidadezinhas dos Estados Unidos onde deuses nórdicos, egípcios, africanos, e tantos outros tentam sobreviver.

Partindo do conceito de que o poder vem da crença e da devoção, Shadow se vê diante de uma batalha entre esses deuses antigos e as novas divindades que se erguem no solo americano: deuses de plástico, bipe e neón personificados em entidades como a mídia, a tecnologia e o mercado.

Sobre os personagens

Fazemos das pessoas nossas presas, tiramos delas e sobrevivemos; nós nos despimos e nos prostituímos e bebemos demais. Pegamos gasolina, roubamos, trapaceamos e existimos nas fendas das margens da sociedade. Somos deuses antigos, aqui neste Novo Continente sem deuses.

Um dos grandes méritos do livro é trazer divindades quase desconhecidas e pouco abordadas na literatura. Ao lado de deuses mais famosos como Odin e Loki, também vemos lendas africanas e dos nativos americanos, divindades hindus e egípcias, kobolds e leprechaun.

Gaiman faz ainda um interessante exercício de atribuir aos deuses funções e situações que correspondem com suas características “originais”.  Anúbis, deus egípcio da morte e da mumificação, trabalha na preparação de cadáveres de sua funerária; Bilquis, a Rainha de Sabá e antiga deusa do amor, é uma prostituta.

Da mesma forma, entre os deuses novos a Internet é personificada em um garoto jovem e mimado e a Mídia costuma surgir com a aparência de estrelas da tv e do cinema, como Marilyn Monroe.

Sobre a série de tv

Com estreia prevista para 30 de abril nos EUA e 1º de maio no resto do mundo, a série American Gods é produzida pela emissora STARZ e será exibida no Brasil pela Amazon Prime Video.

A série é comandada por Bryan Fuller, que fez roteiros de Hannibal, e tem o próprio Neil Gaiman como produtor-executivo.

Entre os nomes do elenco estão Ian McShane como Sr. Wednesday e Ricky Whittle como Shadow. Emily Browning será Laura, a esposa de Shadow; e Gillian Anderson, a eterna Scully de Arquivo X será a deusa Mídia.

Confira o trailer de American Gods:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s