Um casal de corretores imobiliários e sua filha adolescente formam uma típica família tradicional americana. Casa refinanciada inúmeras vezes, jardim bem cuidado e todos os elementos da vida no subúrbio.

O cenário perfeito para uma sitcom é na verdade de uma série de zumbis. Se bem que aprendemos com Santa Clarita Diet que esta é uma palavra que, além de pejorativa, está longe de definir a condição e as aventuras de Sheila em busca de uma alimentação balanceada.

Estrelada por Drew Barrymore, a nova produção da Netflix conta a história de uma mulher comum, bela, recatada e do lar que passa mal, bota para fora uma quantidade de vômito suficiente para dar inveja na menina do Exorcista, e assim – sem mordida, apocalipse ou qualquer explicação – transforma-se em uma morta-viva.

Subvertendo o gênero não apenas em sua mitologia, Santa Clarita Diet aposta em um humor negro e escatológico para mostrar a absurda tentativa da família Hammond seguir sua rotina apesar de Sheila desenvolver um apetite mais favorável à carne humana fresquinha. Um mero detalhe, claro.

Apesar de morta, Sheila se sente mais viva do que nunca, tornando-se uma mulher mais animada e decidida. Mas que precisa, é claro, lidar com instintos mais selvagens e o dilema de ter que matar pessoas para se alimentar. Drew Barrymore está cativante e divertida no papel, o que dá a impressão que a atriz se divertiu bastante nessa história de ser uma morta-viva.

Ao lado de Barrymore, Timothy Olyphant (que pra mim sempre será o produtor de filmes pornôs de Um Show de Vizinha) é o marido Joel, um corretor quase sempre chapado que vive entre a animação de perceber que a morte trouxe para a esposa um apetite sexual mais intenso e criativo, e o desafio de procurar uma cura para ela.

O elenco principal conta ainda com a jovem Liv Hewson, que em seu segundo trabalho como atriz interpreta Abby, a filha de Sheila e Joel  que vê na nova condição da mãe uma espécie de inspiração para encontrar um propósito para sua própria vida.

Nesse processo – que quase nunca sai com o planejado – Abby conta com a ajuda do vizinho Eric Bemis (Skyler Gisondo), o típico garoto nerd que acaba servindo de consultor para os assuntos bizarros da família. Afinal, quando sua mãe vira um zumbi quem você procura? O vizinho nerd, óbvio.

Focada em grande parte nas relações familiares e no absurdo da situação – afinal “família que compra um freezer para guardar o ‘lanchinho’ da mãe unida, permanece unida”  – Santa Clarita Diet exige porções generosas de suspensão de descrença, mas oferece uma história que mesmo tendo o humor como prato principal, também oferece elementos bastante humanos nas relações estabelecidas em sua trama.

Ainda que não esteja livre de deslizes, já que assim como muitas das produções da Netflix demora um pouco pra engrenar, Santa Clarita Diet traz com sua alegre fotografia de dias ensolarados aliada a elementos bastante gore – sim, há muitas tripas, vômitos e nojeiras – boas doses de diversão em seus dez episódios de trinta minutos cada, deixando ao final da temporada um gostinho sangrento de quero mais.

Bônus: Santa Clarita Diet tem o melhor vídeo promocional já feito pela Netflix para o Brasil. Alma gêmea do Fábio Jr. Sem mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s